segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Tudo está bem quando acaba bem :)

O Thunder acabou de ligar, já terminou o recobro, correu tudo bem, está bem e eu só queria estar lá com ele.


E tudo fica bem quando acaba bem.
E aqui estou eu, sportinguista, a ver o jogo do benfica e a sorrir e a enviar sms para um telemóvel desligado a cada golo sabendo que o Thunder não vai ter cabeça para o ligar quando vier do recobro e a conter-me para não ligar para o hospital antes das nove: não quero parecer a tontinha que sou sempre nestas situações.

Pearl Jam - Smile




I miss you already (and so much)







Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia
Nem sei como começar este post.

É esta angustia que assim como a sinto só me lembro de ter sentido duas vezes e ambas no espaço de menos de uma semana, é esta sensação de aperto...

Esta noite estou sozinha, podia ser uma noite como foram tantas outras em que o Thunder foi deslocado en trabalho ou até como na altura em que ele trabalhava de noite, ao início, mas esta noite está a doer. O Thunder está a ser operado (ou já foi? ainda não me souberam dizer) e tenho tantas saudades dele...

domingo, 30 de agosto de 2009

La rentrée chez Nunes

Tudo o que é bom acaba e assim as férias chegam ao fim. Pelo menos estas férias de verão.

Há tanto tanto tanto para contar que começo a achar que devia ter passado menos tempo a plantar batatas e a combater vampiros e mais tempo a escrever.

Mas acreditem: precisava também de umas férias da blogosfera.

As férias passaram sem messenger, sem chat de gmail, sem blogosfera. Podiam ter passado sem FB mas aquilo é um "bíchio que x'entranha na xente".

Amanhã o regresso à vida real e ao stress e sem tempo para adaptações ou transições vai ser um dia altamente stressante: começa com a hospitalização do Thunder e vai ser um non-stop de regressos e resoluções de problemas profissionais pendentes por imposição.

Sobreviverei?

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Vá, venham ter connosco:

Deftones - Knife party



Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia

[23 Agosto 2009: 9 anos desde o concerto fabuloso de Deftones no festival do Ermal]

Ninguém sabe.

Ninguém além de mim sabe o que é estar neste sítio da vida.

Seria preciso terem nascido no mesmo dia à mesma hora na mesma família terem andado na mesma escola terem, tido as mesmas vivências... uma impossibilidade, portanto.


Alguns com mais capacidade / imaginação / altruismo / esforço - whatever - conseguem tentar perceber / compreender.

Enfim e resumindo: uma trabalheira!

sábado, 22 de agosto de 2009

Keane - Bedshaped



Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia

5 dias em cheio

Palácio da Pena, Sintra


De regresso a casa, de novo apenas os três.

5 dias em cheio, 5 dias para guardar na memória e trazer sempre no coração.











Gigi: e o Pootchie Nunes? Não estava ali contabilizado porque até fomos conseguindo protegê-lo da maralha e sempre que podia punha-se a fresco, ehehe
Agora está ali a descansar como se não dormisse há coisa de ... sei lá... 5 dias?

Pobrezito do PN...

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Para mais tarde recordar

Parque das Nações

Castelo dos Mouros, Sintra

Parque da Liberdade, Sintra

Help!!

Estamos a sobreviver, não sabemos bem como mas estamos: todos os 4.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Vira-casacas: xô, xô, andor

Há uma coisa que me mói mais o sistema do que pessoas com mau carácter: é pessoas com falta de carácter.

Até breve

Volto em breve (de certeza) com notícias da traquinada infantil e notícias caninas. Vai ser lindo vai..

Ai Vanda Maria, que é que te deu para te meteres nisto?....

Tudo pronto para férias!

Arquivo

Triagem de documentação

Organização de pastas materiais

Organização de ficheiros informáticos

Limpeza de browser

Agendamento de tarefas para reinício de época

Farmville organizado



...



...



...


... ein?? Farmville...?

White Lies - To lose my life



Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia

»Para ti«

Nunca estamos satisfeitos

Às vezes tenho 1001 coisas para fazer e ocorrem-me 1002 coisas para blogar.

Hoje estou a modos que a queimar tempo porque já tenho tudo despachado para ir de férias e não me ocorre nada.

Vou mais é trabalhar.

Sobre Os Maias

Eça, sai dessa ;)

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Eu sei que digo isto há meses, meses!

Há meses que digo "agora é que vou acabar de ler Os Maias". Interrompi em Novembro porque ia estrear o Ensaio sobre a Cegueira, depois interrompi em Dezembro por causa do Natal, depois em Janeiro /Fevereiro por causa de estar a adiantar as prendas de Natal... enfim, há sempre boas desculpas para não acabar de ler o livro.

Mas como eu sou uma tipa teimosa e não vou começar outro sem acabar aquele primeiro, até porque me faltam menos de 100 páginas e tenho lá muitos anti-histamínicos em casa (o livro é mias velho que eu e acho que nunca tinha sido aberto antes...), será que vai ser nestas férias que vou finalmente acabá-lo?

Chanan!!!!

E hoje chego a casa à hora de almoço sempre a queimar os preciosos 60 minutos que têm que dar para ir do escritório até casa (cerca de 12 km por IC19 e IC30 - um atolhado de turistas/emigrantes-condutores-de-domingo e outro em obras), acalmar uma fera canina, levá-la à rua, comer e beber café.

Hoje chego e vejo este cenário. Liguei o meu "crisis-mode", avaliei rapidamente a situação e entre comer "decentemente" (logo hoje que a somar àquilo tudo ia ter que fazer o almoço) e passear o cão optei por lavar o chão não-sei-quantas-vezes para ver se não ficavam restos de leite+cereais de chocolate+batata frita de pacote+tostas.

Consegui não cair nenhuma vez, consegui descolar do chão as porcariazinhas, só me faltou comer decentemente (lá se arranjou uma sandocha de alface, ovo e queijo fresco) e no fim, atrasada por atrasada, sentei-me a beber um café e fumar um cigarro.

Juro que ainda cheiro a leite ocm chocolate e batata frita porque não tive tempo de trocar de calças, mas o cão... logo à noite vai ter que ser banheira com ele. E para castigo não foi passear (sim, o descarado ainda teve a lata de quando me viu pegar nas coisas para vir embora se pôr à porta de casa a olhar para a trela! "Hás-des" ter muita sorte, "hás-des".

Anathema - Regret




Uma música neste dia...

«I wish I didn't know now what I never knew then...
Flashback
Memories punish me again.
Sometimes I remember all the pain that I have seen.
Sometimes I wonder what might have been...»
A sensação das coisas por dizer, das coisas por fazer, dos momentos por aproveitar é bem melhor e reconfortante que o arrependimento das coisas ditas, das coisas feitas, dos momentos desperdiçados.

Um-dó-li-tá...

Não lembrar ou esquecer?

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

A minha vida é um mar de rosas

Ao escrever o post anterior usei uma expressão «a vida ser um mar de rosas».

Sei (boa, já uso mais o presente, estou a gostar) e tenho a plena noção de que quem não chora não mama e sei-lo de duas perspectivas: a de quem vê (de ver uns constantemente a fazerem o choradinho por tudo e por nada para terem ali uma maminha a pingar permanentemente) e a de quem sente (talvez se eu chorar mais e aborrecer tantos uns com os meus choradinhos a sério como outros já tanto me aborreceram com os seus choradinhos da treta pingue aqui qualquer coisinha*).

Disse eu no outro post que a minha vida não era um mar de rosas como muitos imaginam.
Mas ocorreu-me que é, sim.

A minha vida é um verdadeiro mar de rosas. Fiquei com mais espinhos que pétalas mas asseguro que quando consigo habituar-me à dor das arranhadelas e picos espetados que às vezes me infectam o aroma que as rosas emanam e dão ao mar tem outra intensidade.



*Não, não tenho feitio nem de queixas nem de lamúrias nem de desabafos banais. Para mim a lágrima é uma coisa séria.

As férias!!

As férias aproximam-se a uma velocidade vertiginosa. O tempo tem passado a correr, pensei que estes 15 dias se fossem arrastar mas não.

A pergunta típica é sempre "então e para onde vais?".


Este ano as férias vão ser uma experiência nova, totalmente nova, por muitos e diversos motivos.

Há algumas responsabilidades que deixámos de ter, tornavam-se sempre preocupações grandes nas férias que acabavam por consumir todo o nosso descanso e com o deixar de haver dessas responsabilidades surgem outros problemas, chamemos-lhes probleminhas, coisas que comparadas com o que foi durante anos (agora e à medida que a distância aumenta ... enfim, seria complicado explicar por palavras a quem nunca experimentou) não são nada e até dão um prazerzinho temperando a vida ora com um pouco mais de sal ora com um pouco mais de pimenta.

Há certos pesos que este ano não carregamos, pesos que não procurámos e que nos cairam em cima mas que este ano (e acho que finalmente) apesar de continuarem bem pesados resolvi "deixar de andar com eles às costas", estão lá "arrumadinhos na prateleira" para eu descansar um bocado que apesar de não andar para aí a lamuriar a minha vida os pesos existem e acumulam-se, não pensem que não é por não os apregoar aos 4 ventos que a minha vida é um mar de rosas...

Mas pesos, responsabilidades e temperos de um lado que do outro está uma nova sensação a estrear este ano numa residência portuguesa mais ou menos perto de si conforme a localização do leitor: os nossos sobrinhitos vêm passar uns dias connosco. Ele um regila de 6 anos e ela uma terroristazinha de 4, vai ser bonito, vai, nós habituadinhos ao sossego do lar e às pequenas travessuras do sr Pootchie Nunes... nem quero pensar!

Aliás, nada de planos, que os planos saem sempre furados. Temos um roteirinho de sítios a levá-los para eles conhecerem já que estão em Lisboa, sítios onde nós mesmos nunca fomos, como por exemplo o Oceanário, e o resto vai ser uma descoberta e aventura: para eles e para nós.

Daqui a 48h aproximadamente arrancamos para ir buscar o regila e sábado arrancamos para ir buscar a terrorista. Domingo começa a valer.


Mas as férias não vão ser só esses 4 ou 5 dias que eles cá vão estar. Nos dias que restam vamos estar a descansar ;)

Pootchie Nunes: preparado?

terça-feira, 11 de agosto de 2009

O semeador de estrelas

De dia uma estátua banal e sem sentido.



À noite um efeito de deixar sem palavras.




[Kaunas, Lituânia ?]

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Alguém anda a trabalhar arduamente pelo bem do clã, sim??


Spoon - Me and the Bean



Uma música por dia só faz é bem!


There's A Girl In My Yard
Reading Me My Tarot Cards
She Don't Know Anything
But She's Beautiful To Me

My Eyes Are Opening Again
I See You As You're Marching In
I'll Bring You Cover When You're Cold
You'll Bring Me Youth When I Grow Old

Do You Remember When You Were Small
How Everybody Would Seem So Tall
I Am Your Shadow In The Dark
I Have Your Blood Inside My Heart



Adoooooooooooooooooooooooooooro esta música. Adoooooooooooooooooooro.

Verbalizando

Ando em aprendizagem.

De futuro quero o indicativo, presente e futuro de preferência.

Para trás deixo os pretéritos, independentemente do grau de perfeição que mais-que-perfeitos só mesmo as flores que traduzem amores e nem mesmo amores têm tanta perfeição.

O condicional só se não houver outra condição e gerúndios que suavizam os imperativos quero-os de reserva para usar na hora certa.

Quanto a outras formas deixo-as a quem participou do passado mas que nada me indica no (para) o futuro.

Para alguns sai um grande pretérito imperfeito, para outros um rico infinitivo (im)pessoal.

Para mim o que interessa é o presente e o futuro. Do indicativo, claro, que a vida já não se faz de conjuntos.

Para a frente é que é o caminho

É impossível voltar atrás.

Somam-se dois concertos sem conserto.

domingo, 9 de agosto de 2009

Faith no More - Midlife Crisis



Uma música por dia faz tããããão bem

Bicha solitária

Quanto mais se alimenta um ego mais faminto, sedento, exigente ele se torna.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Há coisas muito tramadas!

Precisava imenso aumentar a minha energia para - pelo menos!! - 75 mas não consigo skill points suficientes. Bolas!

Também precisava aumentar o ataque e a defesa. Que desconsolo, até no virtual a vida é difícil!


Já nem se fala no Yoville, aquilo para uma pessoa ter uns tarecos de jeito em casa tem que trabalhar que nem um mouro!

Ao menos a Farmville é um descanso.

Conclusão: até no virtual não há como a vida do campo...

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Mas há boas que chegam por mail

«It is the greatest of all mistakes to do nothing because you can only do a little. Do what you can.»

(Sydney Smith)

Ah, pois e então?

Gostam do novo layout?


Eu gosto!

Ai...

.. um template tão bonito e uma menina tão má. Credo. Não é possível.

Sou má, ya sou mesmo

[Se ser mau é isto então eu não sou má, sou do pior]

Não reencaminho nenhum email de ajuda para criancinhas malformadas, com doenças raras e deformadoras nem de dádivas de sangue nem nada, ya, eu sou mesmo muito má.

[É neste parágrafo que rio maleficamente e reviro os olhos como se estivesse possuída.]

Bem dizem os títulos desses emails coisas como «Se tens coração reencaminha» blá blá blá e coiso e etecétara.

Não reencaminho nada, vai tudo para o lixo e ai (este "ai" muito acentuado, se faz favor) de quem se atreva a duvidar se eu tenho bom coração ou não.

Não sei quem é que é mais estúpido: se quem cria essas correntes para surripar emails e os vender a bases de dados se as pessoas que têm a mania que é por se reencaminharem emails que os 5 cêntimos aparecem ou o dador de sangue extremamente incompatível surge do nada. Ya, estavam tanto os cêntimos como o dador escondidos ali na internet, atrás de um site, olha se calhar estavam a namorar e a fazer mais emailzinhos "hoax"!

Quem quer ajudar e quem realmente tem bom coração [mãos ao alto para pessoas como eu, "fáxavore"] já se inscreveu no CEDACE (mesmo violando as regras por não ter peso adequado) ou vai depositar dinheiro nas contas das ditas pessoas que estão em necessidade. Entre outras coisas e formas de ajudar.

Isto de ajudar alguém dá trabalho, não é estar de cu sentadinho à frente de um ecrã a encaminhar emails. Assim ninguém ajuda ninguém - ou melhor, ajudam-se os vigaristas que se aproveitam de gente autómata e deprovida de encéfalo que acha que já fez mais que a obrigação ao inundar os emails dos outros com lixo.

Ai a minha vida a andar para trás...

Quando falham o Farmville/Vampire Wars/Yoville tudo o mais falha. Tenho abóboras para apanhar. Sr. Servidor, compadeça-se de mim, vá lááááá...

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Valha-me o santo Dafalgan

Sabe mal, cheira mal, só de passar na garganta até dá vómitos mas actua que é um instantinho.

Lay out

Só falta mesmo é mudar as cortinas aqui ao estaminé. Estas cheiram a mofo...

Então e que tal as férias?

Epá, porrreiras, nunca pensei que o curso de Adobe Photoshop me fizesse tanto jeito!

Treino com clicker

video

Este treino parece ser uma coisa facílima, super-simples. O treinador tem um aparelhómetro simplérrimo que é o clicker, incentiva o cão a alcançar determinados objectivos, quando o cão consegue clica-se, aquilo faz um som forte e dá-se logo recompensa.

O difícil não é fazer clik com aquilo, o difícil é organizar o treino e ter noção se são aqueles os objectivos que queremos que ele cumpra. Entre outras dúvidas que vão surgindo, por isso se alguém achou piada à ideia aconselhamos a que se informem com um treinador para dar orientações.

Neste caso específico o objectivo é ele produzir som no brinquedo. Reparem a dada altura como ele chega apenas lá ao pé, achando quenos engana, e vai procurar a recompensa.
Pois é PN, antes de tu cá andares já nós andávamos há muito tempo!

Pearl Jam - Smile



Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia

segunda-feira, 3 de agosto de 2009


Esta está meia desfocada e já tem 3 meses e meio mas acho que dá para ver bem o que aocnteceu ao carro de apoio de cozinha e às garrafas de sumo concentrado que lá estavam...

Descobri a mina!

Deve ter sido isto que pensou o PN hoje quando conseguiu abrir o armário onde guardamos a comida dele.

Como foi que o abriu? Não sei... Tenho uma vaga ideia porque já tirámos os puxadores mas não tenho a certeza. Agora abriu-se o precedente de ele conseguir abrir armários sem puxadores. Estamos feitos.

Conforme eu disse ao Thunder: queres as boas ou as más notícias primeiro? É que também houve boas notícias - o forno ficou fechadinho.




Sim, aquela coisa branca no chão ao pé da transportadora é a gaveta da máquina de lavar. Se ele a consegue tirar? Sim, claro. Não a tirou hoje porque desde há mais de um mês que nós a tiramos depois de lavar roupa, mas guardamos onde...? No mesmo armário da comida dele!

Ahh, e o caixote azul, o nosso reciclão, também já é meramente decorativo. E não costuma estar ali no meio, foi sua excelência que andou em mudanças.

sábado, 1 de agosto de 2009

Uma das coisas boas do passado é já ter passado.

Pootchie Nunes - o âpedeite

Vai daí que há montes de tempo que não falo do Sr. PN. Estará tudo bem? Ou não?

Agora sim, para o bem caminha.

Há pouco mais de um mês viajámos a Inglaterra para ir a um casamento e foi a estreia do Sr. PN em hotéis caninos.
Correu tudo bem à excepção de ele ter feito duas feridas de fricção enormes à conta de ter andado literalmente a meter o focinho onde não era chamado: de tanto o enfiar pela rede aleijou-se e bem, quando o fui buscar tinha duas crostas bem salientes que levaram ao cancelamento de uma noite já marcada, não por o cão se ter ferido mas por o tratador não ter visto já que além de bem visíveis sem prestar grandes atenções era necessário dar dois comprimidos diariamente e espantou-nos que em 5 dias ninguém tivesse visto como ele estava. Teriam dado os comprimidos? Nem quero estar a pensar que não. Já passou.

Pouco tempo depois começou a coxear no treino, coisa leve. Isto foi uma 3ª. Depois pareceu ficar tudo bem, até pensámos ter sido um pico que tivesse saído, mas na 6ª cmeçou a coxear mais, e sábado andava todo manco, todo torto, cheio de dores. Veterinário com ele, análises, RX, apalpações, medições de temperatura. Saiu de lá com uma injecção anti-inflamatória e antibiótico, 2ª feira o veredicto: febre da carraça. Do mal o menos, não é hérnia discal como se teria suposto em alternativa, ainda está a antibiótico mas já bem melhor.

Em relação à casa... bem... o que dizer? Acabámos por tirar todos os puxadores das portas e gavetas que ele abria e esvaziava. Já descascou duas ou três gavetas, o forno continua a ser um alvo predilecto e comprámos uma transportadora para o aliciar em alternativa ao forno. Ele aceitou bem a transportadora (ainda não a tínhamos fechado, ao início era aberta), tão bem que no primeiro dia sozinho em casa se entreteve a mastigá-la.

No post de baixo está um vídeo dele a brincar com uma bola que adora (põe-se comida lá dentro e o objectivo é ele girá-la para a comida sair) onde mostra o cenário que encontramos quando chegamos a casa (tirando o balde que aparece porque tinha estado a passar a esfregona no chão porque nesse dia o menino teve a pancada de puxar a tijela da água para o meio da cozinha) incluindo a proximidade do forno e da porta.

Continuamos a treiná-lo e estimulá-lo na aprendizagem com o auxílio de um "clicker", um dia destes filmo para verem como o sacaninha responde bem ao treino.

Pootchie Nunes - o vídeo



video

Devo ser muito sensível

Ou então estou rodeada de pessoas com a sensibilidade de uma salmonela.