sexta-feira, 31 de julho de 2009

Isto hoje é que foi, ein?

Quem passar por aqui até pensa que regressei em pleno...

[Regressar em pleno, pleno... isso até era, reabrir o blog... e tal... hmmm, vou pensar nisso. Às vezes é preciso agir de impulso!]

Sabidices

As grandes contradições verificam-se nos pequenos actos.

Coisas que me tinha esquecido «3»

Olha! Eu também tenho um umbigo!

Coisas que não me tinha esquecido

Hoje é uma data especial. Passaram 2 anos.

Marilyn Manson - Born Again



Uma música por dia blá blá blá coiso e tal


(...)

I'll put down you disco and take you heart away

I am born again

I'm someone else
I'm someone new
I'm someone stupid just like you

(...)

Coisas que me tinha esquecido «2»

De como o bronze à camionista + bronze à trolha é tão fatela e doi tanto como o bronze de turista. Não: doi mais porque ao fim do dia quando me dispo não estou uniforme. Ou melhor, parece que estou de uniforme: branco...

Coisas que me tinha esquecido «1»

E pode começar uma nova rubrica, porque não?


«1» Tinha-me esquecido de como a blogosfera pode ser terapêutica.

Fuck you very much

A Me Hate escreveu e eu pimbas, não vou de modas e de repente dou comigo a ler e a dizer para um ecrã que não ouve a ponta de um corno "ya miúda, é que é mesmo isso, por vezes dá vontade de dizer só fuck you very much" e ... epá, e porque não?

Se:

1. dá vontade
2. tenho oportunidade

então porque não dizê-lo sem ser só na caixa dos comentários da môça?


Por isso, fuck you very much.



UFFF!!! O alívio. Está dito.

Mesmo que quem se fuck very much themself não "ouça".

Digo "alto e bom som" enquanto me imagino um cavalheiro galante do séc. XIX que passa, de casaca e flor na lapela, polainas polidas e brilhantes, assobiando alegre e distraidamente ao descer a avenida aromatizada por jacarandás que ao cruzar-se com (outro) cavalheiro farsola e arrebitado que cinicamente me cumprimenta de mão no chapéu eu respondo tirando a minha cartola elegante e com largo sorriso na cara, fazendo uma vénia, digo de forma convincente: fuck very nice, go fuck yourself very much.

terça-feira, 28 de julho de 2009

D.A.D. - Laugh'n'a 1/2*



Uma música por dia...


I learned politeness on my mother's knee
I learned by uprightness my number of friends should increase
When I think about the things I've done
I laugh out loud to no one, Yeah, to no one

'Coz it's so hard to meet the eyes that I see
When I try to open up my heart
There's something inside me and I know it's good
But understanding, is misunderstood
At the end of a smile, there's a laugh'n'a 1/2

But I became honest Mr. Mistaken
In spite of the curves my smile was makin'
Bumpers and kickers in one big stream
I grew up in a life size pinball machine!

Yeah! - They're mean!.


I tried to fill some silence 'Coz the silence feels so long
I knew the ice was gettin' thinner
But I kept skating on!
My mother threw me into this world as a winner
But by the light of the yellow beer
They tell the jokes I'll never get to hear!!






*Há anos que não ouvia isto. Passe o tempo que passar é impossível não verter uma lágrima.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Ai que dor de barriga...

... porque é que a minha colega aqui deixou um monte de ameixas deliciosas...???

domingo, 26 de julho de 2009

A ver:

The Killers - Mr. Brightside



Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia

Notícias (?) em dia (??)

Nunca mais falei sobre sua excelência Pootchie Nunes. Nem sequer de uma outra série de coisas que paira cá dentro. Nem tão pouco escrevi no sushi e ainda assim no das memórias ainda vou pondo mais qualquer coisinha mas nada significativo.

Podia dizer que não tenho tempo (não está assim tão londe da verdade, agora que sou uma próspera agricultora, ainda que virtualmente), podia dizer que ando com a cabeça feita em papa (não está asim tão empapada mas se não acalmar para lá caminha - de caminhar e não de cama, suas mentes preversas!!), podia dizer que os dias de "folga" são passados em lugares tão bns que se aproveitam no verão e descrever mil e um episódios de viagens ou visitas ou o que fosse - mas seriam todas inventadas. Podia também dizer que tenho o computador (ai, que antiquada! Laptop... isso sim, é muito mais fashion)

Podia também por optar dizer-vos que tenho tanto em que pensar que quando chego aqui não consigo escolher nada e que não tendo nada em especial para contar tenho muitos pequenos nadas que gostaria de partilhar: ideias, sentimentos...
E é por aqui: tenho algumas coisas para partilhar mas não tenho (já) o modo certo de o fazer.

In-activia todos os dias

«Eu não tenho a barriga inchada, eu sou mesmo gorda!!»

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Porque é que eu não tenho estado "aqui"??

Ora... porque tenho estado aqui:

Ainda que virtual tenho uma quinta para gerir, sim? E agora perdoem-me, vou ver se os morangos já se podem apanhar.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Horóscopos, adoooro horóscopos.

Este é o Horóscopo Facebookiano. Vamos analisar o que ele diz.

Vá, 'bora.


«This Eclipse day has a gift for you that will expand your horizons, Scorpio. It may create an opportunity for you to travel and experience something new in your life.»
Hoje há eclipse?? Ninguém me tinha dito!! Vou perguntar ao Sr. Google, o Sr. Google sabe mais que o Sr. Facebook. [Já venho][Já vim. E não é que vai mesmo haver um eclipse? Mas é amanhã. E não vai ser visto na Europa. To bad. FB -1 ponto.] Agora percebo. A oportunidade de viajar seria até à Índia ou por aí, com certeza para ver 6 minutos de eclipse solar total. Mas não, Sr. FB, não, por muito que viajar à Índia fosse sem dúvida uma experiência irrecusável não será hoje.
FB -1 ponto.

Soma: -2 pontos.


«It is very likely though, that if you have friends that live far away, you will be re-opening contact with them.» Ei! Como é que adivinhaste que tenho amigos que vivem longe? Não terá nada que ver com a era das novas tecnologias e o mundo ser uma ervilhinha, não?
FB -1 ponto. E é por agora! Se logo à noite eu não tiver reatado contacto com ninguém - afastado ou não - serão logo menos 10 pontos de uma vez.

Soma: -3 pontos

«For many of you, today will mark an important change as far as your career is concerned, but with this change will come a level of communication and business that will take some getting used to.» Será? Será mesmo?? Tens até às 18h para não ficares com menos 5 pontos só detse item. Menos 5 não: menos 500, que se acertares este és um génio!

«Speculation and even gambling may be lucky for you now.» Vou jogar hoje no euromilhões... 6ª feira falamos. Olha que serão menos 1000 pontos, estás a ouvir bem?

E para já para já são 3 pontos negativos.

Uns são filhos da mãe

Eu fui filha da p*ta.

Duhhh?!? Então qual é o drama?

Pensamos que conhecemos alguém. Pensamos que conhecemos alguém até essa pessoa ter alguma atitude ou dizer algumas palavras que nos deixam até com falta de ar, desorientados.
Depois do choque inicial pairam as típicas perguntas, aquelas que que se fazem sempre, Como foi possível que eu [isto]? Como foi possível não ter visto [aquilo]?
No fundo a coluna dorsal é sempre a mesma: Como-foi-possível.

Depois do outro choque, aquele em que fazemos mil perguntas sem resposta, em que encontramos 1000 sinais e sintomas sem os ir procurar, eles apenas aparecem à nossa frente e nós tropeçamos na clareza que sempre foram as coisas e que quem não via (estupidamente, acrescente-se) éramos nós, surge o mais próximo daquilo que alguma vez se poderá chamar de resposta.

Descobrimos a pólvora seca quando damos por conta que as pessoas sempre foram assim, sempre as conhecemos assim. Descobrimos a pólvora seca quando concluímos que sabíamos perfeitamente que elas eram assim e ainda assim as aceitámos como elas eram e interiormente (inconsecientemente) desejámos que nunca fossem connosco do mesmo modo que as víamos ser com os outros.

E depois de passado o 3º choque - este já fraquito, fraquito - e quando o coração não entra em taquicárdia quando pensamos no sucedido, quando já quase parece uma anedota e quando já quase parece que fizemos uma tempestade num copo d'água, nessa altura rimos.
Quase garanto que se fosse possível daríamos uma pancadinha nas nossas próprias costas e diríamos algo como Vá lá, homessa, já lá foi, está lá atrás e seguimos em frente.

Depois deste 3º choque tudo se faz claro e límpido. Se sabíamos do que elas eram capazes e se concluímos não ser essa a surpresa então a verdadeira surpresa é a nossa reacção. O choque final (e fraquinho fraquinho porque no fim já pouco ou nada nos choca) é olharmos para dentro e perceber que se sabíamos do que os outros seriam capazes do que não estávamos preparados que fizessem connosco. No fundo os otários somos nós, que tendo visto as coisas à nossa frente deixámos as trancas abertas.


Mas... duhhh?!? Qual é o drama? Come on, move on. The show always goes on.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Shutting down

Não sei muito bem o que o pensar. Nestas alturas o melhor mesmo é não pensar.

Para ver, para dar
para estar, para ter
para ir, pra ouvir
pra sorrir e entrar
para rir, pra voltar
a tentar, pra sentir
e mudar, pra voltar
a cair, para me levantar
para nunca mais tentar mentir

Pra crescer, para amar
para ser o lugar
pra viver e gostar
de gostar de viver
pra fugir, pra mostrar
pra dizer, pra ter paz pra dormir,
pra fingir, acordar
para ser, derramar
para nunca mais tentar mentir

Ornatos Violeta - Para nunca mais mentir



Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia

After all I hate mondays

Acordar a ouvir Nel Monteiro é SEMPRE mau, mesmo que seja no programa do Markl.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Jorge Palma / Clã - Convite [Movimento UPA 08]



Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia
A quem não sabe estar comigo nas piores horas eu não quero a presença nas melhores.

Uma linda história de vida...

*Valha-nos esse alento! *

Quase no fim da missa o padre perguntou aos fiéis:

«Quantos de vocês conseguiram perdoar os vossos inimigos?»

A maioria levatou a mão. O padre voltou a perguntar e todos levantaram a mão menos uma pequena e frágil velhinha.

- Srª Mariazinha? A senhora não está disposta a perdoar os seus inimigos?
- Eu não tenho inimigos! - Respondeu ela, docemente.
- Isso é muito raro! Quantos anos tem a senhora?
- 98 anos!

O público da igreja levantou-se e aplaudiu a srª Mariazinha enquanto o padre perguntava:

- Srª Mariazinha, conte-nos como se vivem 98 anos e não se tem um inimigo?

Ao que responde a srª Mariazinha:

- Porque todos os filhos da puta dos inimigos já morreram!

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Se...

... tudo acontece por uma razão quanto tempo leva a descobri-la?

terça-feira, 14 de julho de 2009

Mas alguém sabertá explicar porque é que TODOS os anúncios dirigidos às representantes do sexo feminino são tão estúpidos, idiotas, diminuidores, fúteis... ?? Alguém sabe?

Desconhecimentos

Desconhecia em mim o meu gosto por elas. Sabia que eram boazitas, mas não me pensei tamanha adepta.

Rainhas-claúdias é do melhor.

Luminusidades. Vistas. Visões.

É bom poder ver à luz de uma outra candeia: uma que não encandeia.

Tem a mania, é o que é!

Devo ter devo, devo ter mesmo a mania que sou mais e tudo e o resto, devo.

Vejamos:

desde que voltámos de almoço que não há água nos escritórios. Ainda somos uma quantidade razoável de gajas a precisar de ir ao wc (felizmente a maioria já passou tudo a data de validade por isso a grande maioria é tudo nº1 e se alguém quiser nº2 que se aguente até casa).
Aqui euzinha da Silva já cheguei aflitinha e só de pensar que ainda eram 15h30 já me estava a dar a sulipampa, tinha que arranjar uma solução.

Levantei-me, olhei para o garrafão da água ali especado a olhar para mim no corredor a dizer-me baixinho nem penses e entrei no wc. Abri a torneira da água e corria um fio. Olaré, pensei eu, temos água.
Olhei à volta qual MacGyver prestes a entrar em acção.
Entrei de rompante no wc da direita qual James Bond num quarto de hotel à procura do vilão.
Fitei-o. Abri-o. Vi que tinha balde amovível. Era aquele caixotinho do lixo mínimo que eu precisava.

Encostei-o com destreza à boca da torneira do lavatório até secar a água. Quase nem tapava o fundo. Não me dei por vencida: em cada um dos wc há um bidé. Optei de novo pelo wc da direita (pois, o meu preferido de sempre... ou quase sempre, não faço ainda parte da mobília desta casa e se correr tudo bem nunca ferei!) e quando o balde estava cheio o suficiente foi um alívio.

Agora lá está ele debaixo da torneira. Está lá há meia hora e está quase vazio, mas gota a gota...

Se as colegas se assustaram com a falta de água na torneira cá eu não. Soluções é comigo.

Vende-se

Dentadura.

Vende-se a quem provar que lhe pertença. Basta mostrar a noz.

Korn - Alone I break



Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia


«Now I see the times they change
Leaving doesn't seem so strange
I am hoping I can find
Where to leave my hurt behind
All the shit I seem to take
All alone I seem to break
I have lived the best I can
Does this make me not a man?»

E ao 3º dia...

... escrevi. Nem tinha reparado que Domingo e Segunda se fez aqui silêncio.

sábado, 11 de julho de 2009

Podia, pois podia

Podia sim, podia ter sido um dia de praia fantástico.

Assim foi só um fim de tarde na esplanada fantástico.

[Mas eu até já sei que não posso confiar na nuvemzinha que aparece fresquinha vinda de trás da serra!...]
5 sentidos. Mesmo assim nada faz sentido.

David Bowie - Let's Dance



Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia

... put on your red shoes and dance the blues

Os amigos são companheiros de jogo que aparecem no percurso a quem ajudamos e de quem nos socorremos nesta guerra.

Ou supostamente assim seria.

Let's dance...

A vida é aquele jogo que ninguém entende, que tem aquelas regras que ninguém entende, que não se entende porque começa e não se sabe quando acaba.

A vida é aquele jogo que todos jogamos sem saber as regras mas que temos que jogar quer queiramos quer não e a cujas regras temos que nos sujeitar - saibamos quais são ou não.

A vida é aquele jogo onde entramos sem pedir onde não podemos ter "time out" e que não pára de nos pregar rasteiras, pôr armadilhas, inventar falsos oásis a troco de miragens.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

*Dream on, come on*

- Me talking to myself -

Ahhh, 42000000. Era tããããão bom.

Ok, 24000000.

1000000! 1000000 era óptimo.

Aliás: 1000 já era uma maravilha.

Ponto! Um último prémiozinho. 10 euros.

O que é que uma pessoa tem que fazer para ganhar uma porcaria de 10 euros ao jogo??


*Valha-me o velho ditado.

Contagem decrescente interrompida abruptamente

[das poucas letras que eu alteraria]

All your stupid ideals

Got your head in the clouds

You should see how it feels

When you hit the ground

Facebooking [2]

Não sabes que onde andam os teus amigos? Não sabes como anda a vida particular deles? Não sabes se ainda namoram / estão casados? Não sabes a orientação sexual deles? Não sabes o que têm feito? Não sabes que músicas ouvem? Não sabes a que sítios vão? Não sabes nada de nada?

Andas a leste do facebook, não andas??

Depeche Mode - Walking in my shoes



Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia



I would tell you about the things They put me through

The pain Ive been subjected to but the lord himself would blush

The countless feasts laid at my feet, forbidden fruits for me to eat

But I think your pulse would start to rush

Now I'm not looking for absolution

Forgiveness for the things I do

But before you come to any conclusions

Try walking in my shoes, try walking in my shoes

You'll stumble in my footsteps, keep the same appointments I kept

Morality would frown upon, decency look down upon

The scapegoat fates made of me

But I promise you, my judge and jurors, my intentions couldnt have been purer, my case is easy to see

I'm not looking for a clearer conscience, peace of mind after what I've been through

And before we talk of repentance

Try walking in my shoes, try walking in my shoes




(just) Try walking in my shoes

Será que ainda vou a tempo?

Já tenho uma ideia do que quero ser. Ainda irei a tempo de seguir por esse caminho? E se não for isso exactamente que quero posso mudar?
Gaja que é gaja complica.

Gajo que é gajo simplifica.

Gaja que simplifica mais tarde ou mais cedo vai complicar a dobrar e gajo que complica, quando complica, é pior que gaja!

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Facebooking [1]

FB pergunta: em que estás a pensar?

VN responde: O que estou a pensar não posso dizer e o que posso dizer não quero pensar.

E se...

... um dia alguém me liga, e ao atender ouço do outro lado um «olá, então como estás?» e me dá para responder a cantar «cá se vai andando com a cabeça entre as orelhas»?


Consolation: I want so much, want to feel your touch, tonight...

Take me in your arms forgetting all you couldn't do today
To celebrate the fact

That we've seen the back

Of another black...



day

Depeche Mode - Black Celebration



Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia

quarta-feira, 8 de julho de 2009

5 sentidos

Olhei: parecia m*rda.
Ouvi: só se ouvia (moscas na ) m*rda.
Cheirei: só cheirava a m*rda.
Provei: sabia a m*rda.

Se 80% dos sentidos me diziam que era m*rda porque raio ainda fui tocar?




Estúpida!

Os treinos de obediência

Agora é que o Pootchie Nunes vai ser o melhor da classe. Tem uma colega nova, toda giraça, meia husky com 3 mesitos. Ontem já andou a exibir-se. Estavam tão giros!
À falta de tradução de derivações para "cross-dominance", sou ambidestra.

Podia ser uma coisa boa, cheia de vantagens, conseguir fazer a grande maioria das coisas com as duas mãos, acho que o mais difícil é lavar os dentes e comer a sopa com a esquerda ou comer com a faca na direita e o garfo na esquerda.

Nunca liguei muito a ser ambidestra, salvo um ou outro comentário tipo consegues fazer isso com a esquerda? ou comes assim?, e nem reparava na "capacidade".

A verdade é que ser ambidestro (cross-dominant) tem tanto de bom como de mau. Se por um lado sou capaz de executar muitas tarefas sem pensar se estou a fazer com a esquerda ou com a direita em algumas coisas, noutras algo acaba por correr.

E se ser ambidestro (cross-dominant) é mais complexo do que a simplicidade de ser tão hábil (e não levemos "hábil" para o lado da perfeição, deixemos "hábil" relacionar-se apenas "capaz") com uma mão como com a outra?

Será esta capacidade uma aberração e descoordenação interna? Justificaria muitas coisas, especialmente a minha "capacidade" para ver/sentir/pensar as coisas do modo exactamente oposto da maioia dos comuns, destros.

É melhor não me pôr a pensar nisto. É sinistro. Afinal o "mal" poderá está mesmo dentro de mim, sem me possuir mas sendo eu mesma.

Depeche Mode - Policy of truth



Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Moonspell - Handmade God



Uma música por dia e nem sabe o bem que lhe fazia

Percam uns minutos a ver. Pasmem-se.

video

Olhó teste, olhó teste

Não é um teste que diga que tipo de cor somos ou que sabor de gelado seremos daqui a 10 anos.

Trata-se de um teste de avaliação de português. Prontos? Então 'bora lá clicar e fazer.

http://www.anossaescola.com/tarouca/recursos/Escolhamultipla2.htm


(Eu tive 78%. E vocês?)


- De volta ao GR
- Quase totalmente desligada do Hi5
- A aprender a mover-me no FB
- Sem conseguir escrever aqui


Talvez seja melhor assim. Quando a tormenta é muita guardamo-la para nós. Só assim poderemos proteger os outros.

domingo, 5 de julho de 2009

Novidades caninas

Achavam que a saga Pootchie-Nunes tinha acabado? Naaaaaaaaa, apenas tornou-se já quotidiana.

A última que tinha aqui falado (falei, não falei?) foi que ele deu em abrir o forno (temos que arranjar modo de filmar a cozinha). A grande chatice de ele abrir o forno é que o forno está tão perto da porta que com ele aberto resta uma nesga de cerca de 2 mm para conseguirmos fechá-lo. Lá arranjámos uns utensílios e o ritual diário é tentar abrir a porta, ver que a do forno está aberta, pegar num cartão dobrado, meter pela nesga e debaixo da porta do forno e ir puxando-a para cima até fechar e pronto. Uma das grandes chatices é que não devíamos arrumar / limpar nada do que ele faz à frente dele e nesta situação é impossível.

A semana passada tivemos a surpresa das surpresas. O Thunder chegou, ia seguir o ritual e ao afastar-se para ir buscar o que usa para subir a porta do forno murmurou algo como "agora vais ter que esperar".

Vai daí... quando voltou... chanan!! O cão tinha fechado a porta do forno. Surprise!!

E no dia seguinte ao almoço, quando cheguei, o mesmo: tentei abrir a porta da cozinha, estava fechada e quando voltei ele tinha-a subido.

Magnífico. Entretanto descobri porque é que ele tem a pancada do forno: acho que é o sítio seguro dele, porque nesse dia ao almoço ele estava lá dentro a dormir.

Agora sabemos que ele abre a porta, deita-se e ainda se dá ao luxo de a fechar.

Ahhh cão. Que é que vamos fazer contigo??

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Acreditar

Mais que ser preciso acreditar é preciso sentir que acreditamos.

Prioridades

As minhas prioridades divergem.

As minhas prioridades emocionais são opostas das racionais. Ainda que possam parecer trocadas, ainda que possam misturar-se, ainda que ambas sejam prioridades: uma sem a outra faz sentido mas outra sem uma não faz.

Divergem mas são ambas essenciais ao meu bem-estar.

São as duas prioridades.

Depois deste balanço fiquei na mesma.

E se nos envolvêssemos mais?







http://www.earth-condominium.com/pt/

António Variações - Muda de Vida



Uma música por dia e nem sabe o bemq ue lhe fazia
Porque se diz "retiro espiritual" se o objectivo é repôr o espírito?

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Chegámos a meio do ano

Tempo para pausa e balanço pessoal.

Onde é que quero chegar este ano e o que tenho que fazer?



Onde é que quero chegar depois deste ano?

Não há duas sem três...

... à 3ª é de vez.

2010 vai ser um ano "difícil"?