sábado, 9 de maio de 2009

Os Maias (ainda, Vanda Maria?!?)

(Ainda, é verdade! Mas mais avançadinho.)

Indo ao que interessa: na 3ª feira fui ao médico e na espera interminável dei mais um avanço ao livro que parece que nunca mais acaba (será que nos intervalos de leitura a história aumenta e o livro cresce?...).

Seja como for e indo mesmo directo ao assunto, estava a ler uma passagem e lembrei-me logo de uma cara anónima, bem conhecida por aí pela blogosfera de uns, bem desconhecida na blogosfera de outros e bem anónima quando lhe dá jeito.

Esta anónima d-e-t-e-s-t-a o abuso de vírgulas e pontuação que dê vida e enfatize as palavras do escritor. Do que já vi por aí acho que até abomina. Mas já me estou a perder.

A questão é que Tomás de Alencar, o famoso poeta do romance, escreve um poema que achei por bem dedicar a esta nossa correctora acérrima.

E cá vai. Espero que não sejam vírgulas a mais num poema só. É que este poema não é meu e não pode ser corrigido.



«Ela olha a flor dormente, a nuvem casta,
enquanto o fumo dos casais se eleva
e ao lado, o burro, pensativo, pasta.»



(In "Os Maias", Eça de Queiróz, 1885)

11 comentários:

pin gente disse...

eu, aqui, não corrijo nada!
pois se até o burro, pensativo, pastava! quem sou eu para falar pela boca dos outros?!
tanto mais que está tudo cuidadosamente composto.

um beijo
luísa


qual é coisa qual é ela, cai no chão fica amarela? - foi por ela que aqui vim

Ovinho Estrela(do) disse...

Tu estás para Os Maias como eu para o Ensaio Sobre a Cegueira!

E, por isso mesmo, só vejo vírgulas à frente!

Tanta vírgula o Saramago deixa semeada!

É engraçado... Que ele tem blog... E não tem comentários anónimos...!!

Mas também aí na citação o que há é uma vírgula a menos: antes de "ao lado"!

Pronto, corrigi, mas dei a cara! :D

Jokos e Domingo bom! :)

Cati disse...

Gosto tanto, TANTO d'Os Maias...

:D

Thunderlady disse...

Pin Gente, adivinhei, adivinhei! :)
Eu também não corrijo nada: pois se o autor usa as vírgulas para nos orientar na leitura de modo a lermos como ele "disse", por mim estão todas bem!

Ovita, por isso mesmo adoro Saramago, mas isso não é segredo para ninguém. Adoro o modo como ele nos faz ler as coisas como ele as "diz".


Cati, eu estou a achar uma seca... uma seca! Um romance com um enredo interessantíssimo mas~escrito de um modo que não me capta a atenção. Li outros livros do Eça que gostei mais, no entanto foi há cerca de 20 anos. Será que ainda vou gostar se os reler??

Bjs!!

Precious disse...

Por acaso, minha cara, o que me tira do sério, é mesmo a falta de pontuação, sobretudo pontos finais.

hibrys disse...

Uma virgula, faz toda a diferença! Eu adoro! Adoro! Sinais de pontuação.
Mesmo que nem sempre os ponha no sitio certo!

Vekiki disse...

Ai Vanda Maria!!!! Que mázinha!!!! Mas tens razão. Não percebo qual é o problema dela com as vírgulas, mas acho que o maior problema dela é ter a mania que escreve bem, melhor do que todos os outros. Ela faz o favor de se juntar aos que não sabem escrever, na blogosfera, para os ensinar! Não, é muita bondade! Sem vírgulas, claro :-)
Estou a meio do Ensaio. A adorá-lo!
Quanto aos Maias, já foi há muito que os li, mas também os adorei!
beijos

Cláudia disse...

Gabo-te a sorte :)

Fatima disse...

Ainda nos Maias.... Essa obra lê-se num ápice!!!!

Thunderlady disse...

Vewkiki, tens toda a razão! ;)
O Ensaio é fantástico, não é? Despereta muitas emoções!

Claudia, queres uma anónima só para ti, ein? Ainda não foste contemplada??

Fátima, pois, acredito que sim, para quem gosta de tanta descrição e conversa política. Eu já li outros Eças que gostei bem mais. A bem dizer só me interessa mesmo o romance do menino Carlos e há sempre uma dexrição fútil qualquer (quanto mais não seja mais um jogo de cartas) que se mete pelo meio. Boring....
Faz-me distrair muito.

Rita disse...

Deus me livre, isso nunca mais acaba? Já li a "Trilogia de Nova Iorque" e já vou a meio de "Duas Irmãs e um Rei"...
Jokas