segunda-feira, 25 de maio de 2009

Feitiços, histórias de encantar, bruxedos e realidades de desencantar

Desde cedo que o nosso imaginário é povoado por duendes, fadas, bruxas.

As histórias infantis trazem-nos esses seres que usam os humanos nas suas guerras "pessoais". Uns embruxam e os outros desenfeitiçam.

Tornamo-nos adultos. O papão deixa de existir; as bruxas más, os duendes, as fadas.

A vida corre-nos mal. Fomos embruxados. É que se não fomos parece. Dizemo-nos que não, não é racional, não há bruxas nem fadas, nem diabos nem anjos. Há a vida, apenas a vida.

Não há bruxas nem fadas nem diabos nem anjos mas a vida corre-nos mal e teimamos que fomos embruxados. Não, não é racional, é infantil, é popular, é folclórico, é pagão, é antiquado, é irracional.

Sacudimos a ideia, quremos libertar-nos da perseguição, não existem bruxas, não existem bruxas, e vamos sacudindo a ideia mas a ideia é algo lamacento, escorregadio, envolve-nos e não nos larga.

Se é uma ideia infantil, se não existem bruxas, porque raio nos deixamos invadir pelo arrepio na espinha, pela dúvida, pela perseguição? Quem me tramou? Quem me mandou embruxar?

Continuamos a sacudir a ideia sem perceber como é que um conceito imaginário infantil aparece para nos ensombrar e invadir a pouca paz que a vida de adulto tem.


Será bruxedo?

6 comentários:

mimanora disse...

Mas que las ha, ha!

Ovinho Estrela(do) disse...

E quando quem nos embruxa tem ar de fada? Ou de duende?

dá que pensar...

Jokito, vandinha.

*

pensamentosametro disse...

AHAHAHAHAHA, tiraram-meas palavras da boca meninas. Bruxas não sei se as há mas há gente que emana muitas vibes negativas e nós estamos debaixo do olho do dragão, ahahaha.


Bjos



Tita

Pepper disse...

Pois...

E depois vão à brunxa para saber se o tal foi à bruxa para lhe lixar a vida.

Quanto mais se metem nisso pior é!

Thunderlady disse...

Pois pois! Vão à bruxa saber quem foi a bruxa que fez isto.

Pois!

Rita S disse...

Eu nem tenho medo de bruxas porque a bem ou a mal elas só fazem o que lhes pedem, tenho medo é de gente má...
Jokas