sábado, 26 de abril de 2014

Um simples champô... uma dor de cabeça de escolha...

Lembro-me de quando só havia um tipo de champô e algumas pessoas eram até um pouco reticentes e preferiam usar o velho sabão azul e branco.
Rapidamente apareceram mais umas marcas e a gama era simples e dividia-se em 3: cabelos secos, normais ou oleosos. Até me lembro de quando apareceu o champô que não arde nos olhos*. E do primeiro amaciador. Acho que até era 2 em 1. Ah... é quase nostálgico. 

Entretanto as gamas começaram a aumentar o tipo de oferta: passou a haver para cabelos com pontas espigadas, para cabelos pintados e mais um sem número. A coisa começava a complicar.Mas era o início da era dos champôs para tudo e mais alguma coisa...

Na 6ª feira fui comprar  um champôzinho, coisa simples, apenas para ter o cabelo lavadito, o meu cabelo com tendência a oleoso. E vai daí, especo-me a olhar para as imensas prateleiras com champôs e amacioadores. Onde está o "simples" champô para cabelos oleosos? Eu não queria marca branca, mas mesmo que quisesse não havia.O olhar começa a desviar-se para os nomes/preços e começa a ficar esbugalhado. De um modo muito resumido "ele" oferece champô para cabelos amarelos, vermelhos ou pretos artificiais, para cabelos amarelos, pretos ou vermelhos naturais, champô para caracóis naturais (e artificiais?),brilho e suavidade, liso perfeito e liso intenso (e imperfeito, existe liso imperfeito?), pintados inovação com filtro UV - o que quer que seja "pintado inovação filtro UV, maçã verde (para que serve um champô de maçã verde? para diluir e fazer sumo?), com leite hidratante, cor radiante (deve ser perigosa tanta radiação), puro e leve (ai esses cabelos impuros, esses que deviam ser lavados com champô de água benta), volume (mais alto ou mais baixo?), oleoso fortificante (isso, vamos fortificar essa oleosidade), antiquebra (boa, acho que vou passar a lavar os vidros do carro com este), anti-caspa homem e anti-caspa mulher (não queremos cá promiscuidades com as caspas) sem esquecer o homem anti-caspa ativo (para homens ativos, para caspas ativas ou é um champô ativo? deixa a pensar se os outros champôs são inativos...), renutrição (não basta nutrir, há que renutrir),cabelos secos e fracos (e se for seco e forte?), cuidado cabelo fino (devia ter um sinal triangular de rebordo vermelho a avisar: cuidado! cabelo fino!)...

Bem,eu podia ficar aqui a descrever as centenas de tipos de cabelos que existem e eu não sabia. E as dezenas de gamas de champôs para cada tipo de cabelo. 

Claro está que mesmo com tanta oferta não encontrei um champô para o meu cabelo: curto, ondulado, com tendência a  oleoso, franja escadeada, pintado com tinta de supermercado há uns meses.
Tive que trazer um vulgar regenerador de pontas. É que pontas o meu cabelo tem de certeza.



*por falar nisso, a esta altura, com tanta coisa já inventada, já não devia haver nenhum champô a arder nos olhos!


2 comentários:

rosa ramos disse...

Maravilhoso...o post e o shampoo...já experimentaste este???
:D

Peregrina disse...

Obrigada Rosa. Pois realmente experimentei o que trouxe e até ver gostei. Quer dizer,as pontas gostaram ;)