terça-feira, 20 de outubro de 2009

Que chuvada tão a calhar

Há alturas da nossa vida que parecem ser infinitas e desprovidas de sentido.

Depois... estava o peixinho, veio o gato e comeu! Depois veio o cão e o gato teve que se esconder. Depois, veio o coelhinho... -Não, não! O coelhinho foi com o pai Natal e o palhaço no comboio ao circo!

De repente parece que todas as coisas que não faziam sentido isoladas começam a juntar-se, a moldar-se, a unir-se, tudo (ou quase tudo) ganha forma.


Esta chuvada veio no dia "D", na hora "H", no segundo "S": como melhor preferirem designar.

3 comentários:

gimbras.nofuturo.com disse...

Estou te entendendo... :P

Pepper disse...

Hummm.... Subitamente, lembrei-me dos chocolates do Natal! Porque será?

Beijos

Rita disse...

Agora também eu comia um coelhinho desses...
Jokas