quinta-feira, 30 de abril de 2009

A obrigação n(d)o lazer

Sou leitora.

Leio - mais ou menos avidamente, conforme o interesse.

Leio porque gosto de ler. Não por obrigação. Aliás, nunca gostei de ler por obrigação. Ler com prazo, ler o impingido. Ler por obrigação é ler por ler. Para cumprir um outro objectivo qualquer que não é de certeza o de ficarmos saciados. Porque ler por obrigação é um verdadeiro enfado. Porque ler com prazo é desmotivante. Acorrenta. E eu... bem, eu sou uma pessoa que estou acorrentada a muitas coisas mas não quero nem gosto de ficar acorrentada a uma leitura obrigatória, porque para mim ler é soltar-me, abstrair-me, viajar.

Leio o que me desperta interesse. Leio blogs, leio livros, leio revistas. Legendas, slogans. O que seja.

Dei por mim a pensar se ler é ler porque é que ler é tão vasto? Porque é que há leituras que nos libertam e outras que nos acorrentam? (E quando digo acorrentar não digo "prender de tão interessante")

Uma coisa é certa. Quando leio um livro não tenho o escritor em cima de mim, ao meu ouvido, a sussurrar constantemente: Estás a gostar? Estás a gostar? Vá, dá opinião, vá, comenta, vá então? Isto não é só chegar aqui e ler o meu livro, ou o que é que achas?


Talvez esteja na hora de mudar de hábitos de leitura. E libertar-me.

12 comentários:

Cai de Costas disse...

Raios: que tipo de autores é que breathe down your neck e te colocam essas perguntas incessantemente?

Paula disse...

Os direitos do leitor, de Daniel Pennac:

O direito de não ler.
O direito de saltar páginas.
O direito de não acabar um livro.
O direito de reler.
O direito de ler não importa o quê.
O direito de amar os “heroís” dos romances.
O direito de ler não importa onde.
O direito de saltar de livro em livro.
O direito de ler em voz alta.
O direito de não falar do que se leu.

Precious disse...

Eu que sou leitora compulsiva de todo o tudo de material e assunto, digo que gostei deste texto dedicado à leitura.

Kika Canas da Lapa disse...

Concordo inteiramente contigo.

Poderás sempre fazer comentários nas 'bordas' do livro mas só e apenas se fôr essa a tua vontade ;)

Leio imensos blogs mas não sou comentadora assídua, não tenho essa necessidade. E não gosto mesmo nada quando mo pedem/exigem. Comento quando me apetece, os assuntos que me dizem algo e quem dá o quem... a mais não é obrigado.

:*

pensamentosametro disse...

Tiraste-me as palavras da boca, especialmente eu a estranha que leio escritores malditos daqueles que ninguém gosta. Mas ter que ler porque me obrigam e esponder porque me perguntam va de retro.

Bjos


Tita

Cati disse...

Compreendo o teu ponto de vista. Muitas vezes a leitura de blogues não implica a mesma liberdade que temos ao ler outras coisas. O que é pena.

Beijoca (e não te angusties moça)

Rita disse...

Olha que estar a ler Os Maias e ter o Eça a susurrar-te ao ouvido era uma bocado "Twilight Zone"...
Eu também adoro ler e odeio ler (por obrigação).
Jokas

Thunderlady disse...

CdC: mais do que os que seriam de desejar.

Paula: desconhecia! Afinal temos direitos :)))

Precious: obrigada, saiu assim.. foi bonito, não foi?

Kika: o blogger está numa dimensão diferente porque é simultaneamente autor e leitor. Dualidade complexa, especialmente para aqueles que deprimem por não terem comentários... sim, porque os há!

Tita: benditos livros de papel que lemos a nosso bel prazer!! :))

Cati: ler blogs consegue mesmo tornar-se uma prisão. Mas não me angustio. Lá vou seguindo em frente :)


Rita: se o Eça me sussurrasse qualquer coisa seria "tu deves ser a pessoa que mais tempo demorou a ler isso!!"
(SIm, ainda estou no memso sítio de há três semanas... )

pensamentosametro disse...

Credo, só agora é que vi, tanta gralha, caraças até perdeu o sentido. O meu teclado precisa de reforma e eu preciso de descanso, ahahahaha.

Leio molhos de blogues quando tenho tempo, o que não tem sido o caso, uns não comento porque sim porque acho acho que ler e comentar por obrigação nunca mais.
Outros há que ao cair lá leio e não comento porque acho melhor não, se é que me entendes ;)




bjos


Tita

Thunderlady disse...

Of course I do (as you well know) :)

Bj

I. disse...

Já dizia o Nadinho Pessoa, o prazer de ter um livro para ler e não o fazer (ou qualquer coisa assim, que cito de cor e sou péssima a decorar citações).

Quando não gosto, ponho de lado. É um prazer, lê-se por prazer, era o que faltava fazer fretes, para isso serve o trabalho ;)

Ovinho Estrela(do) disse...

Vinha aqui com os direitos do leitor colados ao copy do rato, prontinha a fazer paste!
Mas a tua comentadora Paula antecipou-se!

Já estive tempos e tempos sem ler excepto por obrigação profissional. Desde as férias da Páscoa que retomei os velhos e compulsivos hábitos de leitura de "mesinha-de-cabeceira". Ou seja, lá ando carregada com o livro para todo o lado. Voltei a ter vontade de arranjar minutos para a leitura por lazer!
Se bem que, também tenho a sorte de ter leituras por obrigação bem aprazíveis! :)




De resto... Também percebi a ideia... Cheia de razão, cheia de razão!

Fui! ;)