terça-feira, 17 de março de 2009

coisas diferentes

Uma coisa é querer um amigo.

Outra coisa bem mais distinta é querer companhia para as horas de solidão.

Porque uma coisa pode tornar-se na outra mas a outra ressente a coisa.

(E posta esta baralhação, qual é a coisa?)

12 comentários:

Kika Canas da Lapa disse...

Ai minha querida... como te compreendo :S

Por muito que queiramos n baralhar, acaba tudo por ficar uma salganhada pegada... e aí ou sim ou sopas :(

:*

Gigi disse...

É a amizade. Esa ressente-se sempre com pouco.

pensamentosametro disse...

Estou ali com a Gigi, um amigo faz sempre muita falta, felizmente tenho alguns, como tu que nunca me deixam sentir só mesmo quando com desde ontem tenho necessidade da minha fatia de solidão.

Quem não preza a amizade que compre um cão para as horas de solidão. Estou a recuperar e nota-se, pelo menos pelo mau feitio.


Bjos


Tita

Pandora disse...

Faz todo o sentido, e uma confusão pior que as tuas palavras é quando tudo na amizade/companhia se mistura e já não se sabe quem é o quê para quem...

Bjs

mimanora disse...

Estou como a Gigi.
É a amizade.
Uma coisa é ter conhecidos que pontualmente nos fazem companhia, que preenchem vazios pontuais e para com os quais não sentimos que haja "compromissos", outra coisa é ter Amigos.

Anónimo disse...

Traduzndo: um amigo pode tornar-se numa companhia, mas uma companhia nem sempre se torna um amigo...


É, Vandinha... É.

A coisa é a confusão que, repentinamente, se faz entre ambas as coisas... sentires tão diferentes...


Joko especial.

ovo*

Me Hate disse...

Conheço 2 embroglios assim... ;)

fj disse...

P: qual é a coisa??

R: é ela!

Thunderlady disse...

Qual é coisa qual é ela cai no chão fica amarela?

Nããõ... não fica amarela nem cai no chão.

Que coisa, já viram, a mania de se confundir amizade com companhia?

pensamentosametro disse...

Exactamente. Comprem um cão, para além de ser uma excelente companhia acababa por dar em amizade sincera.


Bjos



Tita

hibrys disse...

Alguem que só nos quer p/ as horas de solidão não é amigo, pelo menos nosso, apenas dele próprio... e quando nós precisamos de preencher as nossas horas de solidão? Esse amigo esta lá?
A amizade presupõe reciprocidade. Claro que não é em termos absolutos, que todos temos, ou deveriamos ter, vida própria.

gimbras.nofuturo.com disse...

Pois, o amigo sai usado da história... quando a amiga já se sente restabelecida. E é péssimo!!