quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Os Maias contra-atacam

Este fim de semana foi resolvido e ficou bem assente: nenhum livro se interporá entre mim e Os Maias, nem que esteja para estrear ... sei lá... O Memorial do Convento (que deve ser o próximo).

Tudo bem, já reiniciei a leitura, ataquei o livro sem dó nem piedade.

A vingança do ataque não se fez esperar. Ontem cairam-me os Maias em cima do pé. E óh que ataque. Experimentem levar com a versão de capa dura de para aí há 30 anos mesmo de canto em cima do dedinho.

6 comentários:

mimanora disse...

Já me fizeste soltar uma gargalhada!

O ninicio talvez seja um bocadinho aborrecido, mas vais ver que vais gostar!!!

Rita disse...

Tinha-te contado o fim e escusavas de estar em sofrimento...
Jokas

Thunderlady disse...

Rita.. nãããããããããããããããããooooooooooo .. please, não contes o fim. Eu já sei uma coisa importante que contribui para o fim, lógico, mas não contes.. please, please, please.

Mimanora, ri-te ri-te!! Este livro está embruxado, farta-se de cair! Já dei cabo da capa, tão antiguinho, tadito e com a capa já esfacelada. Tristeza...

ThunderDrum disse...

Tadito do livro...e do pézito!

Si disse...

Só pode ter sido o peso do Ramalhete, concerteza...

Cati disse...

Tu vais gostar, certamente. Mas realmente não é um bom começo levar com o dito cujo no pé...

Não desistas!
É um dos livros do meu top 3!