sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

E se eu reparar bem...

... daqui a uma semana já passou. Já acabou esta época horrenda. Já acabou a febre dos presentes vazios de sentimento, já acabou a hipocrisia, já acabou a fachada, já acabou o sacrifício.

Regressam as famílias aos seus núcleos para se fecharem nas suas conchas de onde deixam sair periodicamente os seus venenos. Vão incubar mais uns 300 e tal dias até ao próximo Natal.

À última colherada da canja de galinha com ovinhos e tudo estará terminado o Natal.

Está quase.

9 comentários:

@me@@@ disse...

dasse estava a ver que aqui na blogosfera não existia ninguém que partilha-se da mesma opinião que eu... raistaparta ao Natal!!!!












:-)

I. disse...

Amén.

(só me chateia é que dia 26 trabalho)

fj disse...

dizes bem...época do sacrificio!
;)
bjs.

pensamentosametro disse...

Ok. comcordo contigo até um certo ponto tu sabes, eu gosto de Natal sobretudo por conta da criançada das festarolas com amigos e famílias. O verdadeiro significado esfumou-se há muito nas trevas, embora nos queiram fazer acreditar que não. Já agora podias pedir que passasse a treta da passagem de ano que também não é a minha festa favorita não fosse mais um pretexto, para mais reuniões de amigos e mais petiscada.

Bjos


Tita

kris disse...

bem...em certo ponto concordo..é uma época consumista...mas eu só dou prendas a quem realmente gosto... e dá-me prazer fazê-lo. Gosto muito do Natal :))

beijo*

Rui disse...

Eu tenho saudades do Natal de outrora. Outros tempos. Agora é jantar no dia 24 no Entroncamento, conduzir nessa noite rumo a Lisboa e almoçar no dia seguinte com a outra parte da família. It sucks.

Gigi disse...

Diz lá a sério - detestas tanto assim o Natal? É que não me parece, sabes? Tu não deves gostar é das máscaras que as pessoas usam
nesta época. Pelo que me é dado a ver, o que escreves vai de encontro ao verdadeiro sentido do Natal - a partilha. E tu dás de coração, não dás? Então pronto! Vive o teu Natal, é um conselho de amiga. Se quiseres, segue-o.
Feliz Natal!

Piston disse...

Eu não desgosto da época.
MORTE AO NATAL!

Anónimo disse...

Graças a Deus que os que me rodeiam de afectos são verdadeiros anjos de Natal e que estão sempre comigo, quer seja noite de bacalhau e perú quer seja da sopa instantânea, numa pressa.

Reunimo-nos, temos alegria porque estamos juntos, ajudamo-nos, aquecemos o coração de cada um.

Gosto muito desta época com as coisas boas e menos boas que tem, que para mim são a falta dos que adoro - que sinto no resto do ano também.

O teu post: a cara chapada do bando de gente fofa, tão comum...
A hipocrisia habitual das luzes que cintilam. Tanto a dizer.

É Natal, é Natal, Vandinha querida.

Abraço bem forte, bem forte! :)

ovo*