quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Pobre que é pobre... é mesmo pobre!

É que ser pobre não é ter falta de dinheiro, não... Ser pobre é ter falta de gosto, não é o que dizem por aí?

E eu sou pobre.. muito muito pobre. Não sou pobre o suficiente para não saber o superlativo, mas sou bastante pobre, paupérrima.

Sábado ao almoço abriu-se uma garrafa de champagne, a mãe quis fazer um brinde.

Tchim tchim para cá, vai acima para lá e bota abaixo não sei para onde e eu provo o champagne e... epá... aquele sabor arrepiou-me um bocadito. É certo que eu não sou apreciadora de vinhos e champagnes e etc's e tais, mas só não fiz uma careta porque enfim, são 33 anos, já não posso fazer muitas caretas, depois a pele fica vincada e vêm as rugas...

Peguei na garrafa para ver a marca. Também não quer dizer que seja compradora do produto, mas não vá o diabo tecê-las e ao menos sabia o que NÃO comprar.

Na lista dos produtos a não comprar adiccionou-se Moet & Chandon.





Toma lá, que pobre que é pobre só bebe espumante.

14 comentários:

pensamentosametro disse...

Não sejas maluca, pobre é quem não gostando finje que gosta porque é bem. Havemos de experimentar umas "mimosas", és capaz de gostar.


Bjos


Tita

Canela disse...

eheheheheh!

Eu também não gosto, e, nem consigo disfarçar!

Sofia disse...

Isso tem a ver com a qualidade do Champagne. Há o Brut (seco), o meio-seco e o doce. Os verdadeiros apreciadores da bebida gostam dele Brut, mas para mim só doce - de resto, também franzo o sobrolho.

Rita disse...

Então eu sou tão pobre quanto tu. Odeio champagne e quando há festa e temos que brindar, vem uma flute que molha os lábios e "afasta de mim esse cálice pai". No entanto há outra coisa que também é "fina" e que a maior parte das pessoas detesta e que eu adoro que é caviar, sou capaz de pegar naquilo e comer às colheradas. Gostos...No que diz respeito a alimentação não faço fretes, não sou capaz de comer nada de que não goste só para fazer o jeito. No entanto nada me garante que alguma vez que uma R iniciada na culinária me faça um prato horrendo eu não diga que está estupendo.
Jokas

Gi disse...

Eu não gosto nada de champanhe, sou mesmo uma pobre coitada!

Ovinho Estrelado disse...

Alto láaaaaaaaaaaaaa!!

Dessa marca não gramo, oh pobretanas!

Mas uma Murganheira-Raposeira marcha e dá-me vigor!

Bastam-me uns golinhos e até em cima da coluna me rio toda!!

Tenho das melhores lembranças das minhas pielas com Murganheira-Raposeira!! Se tenho!
E tenho das melhores recordações sem pielas!

Adoro flutes na minha mão! Adoro!

Portanto, acabas de ficar a saber que tens uma amiga rica!!

Mas é a única bebida alcoólica que ingiro! Mesmo tendo sido nascida e criada no meio dos lagares e das vinhas e do melhor vinho do Porto da região demarcada e coiso.

Quer dizer, um Baileys de chocolate e mentol também marcha...

Vodka com sumo de maracujá também me faz lamber o beicinho superior...

De resto não bebo alcoól...

(Por falar nisso, brevemente parece que se vai abrir uma garrafita!! Há que festejar, há que festejar... E mais não digo!)

;)

Ovinho Estrelado disse...

alcool não tem acento. Fica a errata, não vá a "Isabel" dar-me "tau-tau"! :D

Beijoko!

Noiva Judia disse...

pelo menos, faz-te bem à carteira. mas eu cá não recuso uma taça de Moet & Chandon ;)

Carlos Rangel disse...

Há pessoal que bebe pelo rotulo, independente da mixórdia q tá lá... Tb não aprecio muito, mas enfim, bebe-se :)

Vekiki disse...

Moet & Chandon também não me faz perder a cabeça... ;-)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Os meus parabéns atrasados, mas estou desculpado porque não estava em Portugal.
Mais uma para o cube dos escorpiões blogueiros. Começo a perceber que somos muitos mais do que imaginava!
Beijinhos

lima ou limão disse...

Mal por mal, venha mas é uma caipirinha! (eu ofereço as limas) ;)

Mary of Cold disse...

Desculpa, mas pobre que é meso pobre bebe CHAMPOMY!! :):):)

lima ou limão disse...

Ovinho Estrelado, sem querer armar-me em pessoa cidadã de esperteza aguda, "álcool" tem acento... apenas não é em nenhum dos "o" mas sim no "a"... a não ser que os ventos do tal Acordo Ortográfico (a mim ninguém perguntou se eu estava de acordo) já tenham levado o acento para um lugar qualquer, longe das gramáticas old school.