terça-feira, 18 de novembro de 2008

Ao longo destes dias um manto de folhas mantinha-se poisado ao de leve em cima dos ramos dando a ilusão que as árvores estavam cobertas de folhas amarelas e castanhas.

Esta noite o vento soprou.

As folhas jaziam, pela manhã, no chão. Um manto sóbrio de castanho amarelado cobria o passeio e a beira da estrada e a luz que rompia por de trás dos fiapos de nuvens dava a ilusão de que viajava num mundo de paz.

O vento que não pára agora de soprar elevou as folhas no ar. Rodopiam inquietas em remoínhos frenéticos. Anda diabo à solta.

8 comentários:

Rita disse...

Ainda há pouco ía no carro com a janela aberta e estava mesmo a ver quando é que me entravam algumas pela janela a dentro...
Jokas

pensamentosametro disse...

O diabo à solta? Onde? Manda-se já prender, ehehehe.

Bjos


Tita

fj disse...

oh se anda!
ali para os lados da Ereira não se podia.
;)
bjs.

ThunderDrum disse...

São as tais "...carradas de vendavais..."

Vekiki disse...

Hehehe...hoje também estive para escrever sobre as folhas! Comecei e não concluí...ainda bem! Beijos

Me Hate disse...

Gosto desta nova "cara"... a ver se marcamos algo! ;)

SONHADOR disse...

subscrevo a Tita.

beijos.

mimanora disse...

Gosto do Outono e das folhas a rodopiar!!!